(A) Quem somos

Mídia Negra

Por uma mídia sem catracas!
Comunicação não é mercadoria!

Somos um coletivo autônomo de mídia independente que nasceu junto aos levantes populares em 2013, quando percebemos que as manifestações estavam próximas, mas havia uma falta de comunicação entre elas.

Entedemos a câmera como uma ferramenta, que podemos e devemos usar, a favor da resistência contra o capital. Esta ferramenta é difusora de conhecimento e fundamental para documentar as violações de direitos por parte do Estado, a indignação popular, a urgência de necessidades básicas não atendidas, a voz dxs oprimidxs e as lutas por dignidade e direitos.

Mídia Negra visa compartilhar informações de uma forma que a mídia comercial e corporativista não faz, ou seja, de forma assumidamente parcial e comprometida em relatar  o que presenciamos, pois documentamos com nossa maneira de pensar. Não é possível analisar acontecimentos passados e presentes somente com a mídia comercial como fonte de informações. Por isso, defendemos uma mídia independente e combativa à lógica que mantem essa mídia comercial.

Queremos colaborar com o rompimento de catracas nesta sociedade desigual. Uma sociedade que é machista, racista, que promove opressão e violência aos animais e muitas outras formas de oprimir, que julga através de leis que tem a violência e a punição como “forma coerente de resolver problemas”.

Queremos destruir as catracas que impedem a troca de informações e conhecimentos.

Estamos em extrema desigualdade. Temos muito menos recursos e possibilidades que a mídia comercial e corporativista. Mesmo com essa dificuldade a atuação da Mídia Negra quer construir um panorama de lutas e denúncias contra o Estado brasileiro.

Entrevista com Mídia Negra (2014)
–> https://youtu.be/l4CtwVVMa-0

 


PRINCÍPIOS

APARTIDARISMO

Repudiamos a atuação política por meio de partidos por dois motivos principais: não acreditamos que o sistema democrático representativo brasileiro esteja, esteve ou estará livre das fortes interferências do capital, nem a favor da população; acreditamos na nossa própria capacidade de agir, de interferir, de transformar através da horizontalidade, autonomia e da ação direta, isto é, sem a expectativa de que alguém aja por nós. Consideramos que escolher representantes para exercer poder em nosso nome não é um ato de liberdade.

HORIZONTALIDADE

Valorizamos a pluralidade, a autodeterminação e a não imposição de vontades e pensamentos, de modo a estimular as trocas e as construções coletivas. Contra todas as formas de hierarquia e dominação!

AUTONOMIA E AUTOGESTÃO

Defendemos que nenhuma autoridade exterior deva determinar as vontades e decisões dos coletivos e dos indivíduos da sociedade. somos autonomxs politicamente, no sentido de não nos vincularmos a partidos politicos, sindicatos, e demais estruturas falidas. Somos autonomxs financeiramente porque não recebermos nenhum tipo de recurso de empresas, governos, organizações do terceiro setor, para realizarmos qualquer projeto. Escolhemos xs individuxs e/ou grupos com quais nos articulamos e dividimos afinidades, trabalhando e nos unindo a elxs sem interferência da burocracia estatal e do poder econômico. O trabalho é realizado por todas as pessoas que compõem o coletivo, nos apoiamos mutuamente.

CLASSISMO

A sociedade capitalista baseia-se na luta de classes: os proprietários dos meios de produção exploram e dominam aqueles que só possuem a força de trabalho, isto é, operários, cientistas, empregadas domésticas, médicos, teleatendentes, professores etc. Somos contra o trabalho alienado e submetido aos imperativos capitalistas das metas de produtividade. Esta forma de trabalho traz doenças e sofrimento, e não reconhece o trabalhador e seu trabalho.

Por isso, lutamos pelo fim do sistema capitalista e pela construção de uma sociedade não dividida em classes sociais.

AÇÃO DIRETA

Ninguém sabe mais da necessidade de um povo do que ele mesmo. Como o Estado é uma força opressora e aniquiladora dos anseios populares, defendemos que cada indivíduo e grupo deve colocar em prática suas decisões a partir de ações próprias.

Uma delas é a não submissão à toda forma de autoridade, posicionamento essencial para combater o autoritarismo. A opressão se mantém sobre os indivíduos e grupos, pois são submetidos a ela. Entendemos que para apagar a fogueira da exploração e das formas de dominação, é preciso que paremos de alimentá-la com a lenha da submissão.

ANTICAPITALISMO

Anticapitalista por entender que o sistema em que vivemos mantem uma sociedade que transforma nossas vidas em mercadoria, um modelo econômico e social que mercantiliza as relações entre as pessoas, a educação, a saúde, o transporte público, dentre outras necessidades. Um modelo baseado na exploração de trabalho e de recursos naturais. Criando uma forte cultura de medo e engessamento de ações livres.

 

LIBERDADE IMEDIATA A TODXS XS PRESXS POLITICXS!

ATAQUE AO ESTADO!

FOGO NA PROPRIEDADE PRIVADA!

PELO FIM DE TODA FORMA DE CÁRCERE!

 

(A)

 

Deixe uma resposta